terça-feira, 2 de novembro de 2010

Nova Presidente

Enfim, acabou toda essa batalha de acusações de um lado pra outro, e posso dizer que agora eu respiro com menos desconfiança sobre os próximos 4 anos.
Menos desconfiança por saber que a ultima greve da universidade foi em 2005 reivindicando uma dívida antiga acumulada em 10 anos, desde o governo FHC... É um fato inegável que a grande maioria dos estudantes das UF's são adeptos dos governos de esquerda... Na verdade, a maioria é CONTRA os governos de direita, e eu particularmente ainda consigo engulir um governo moderado, ou de centro-esquerda.

Após este blá-blá-blá, venho aqui parabenizar a nova presidente, e dizer que vou cobrar as promessas feitas para a Educação, que pra mim, é a base para qualquer país se tornar desenvolvido.

domingo, 31 de outubro de 2010

Reflexões vagas acerca do futuro

Há alguns dias em que você fica cansado de tudo, toda aquela pressão em sua cabeça, todo aquele frenesi de informações e responsabilidades... Mas, o que acontece quando esses dias se tornam semanas?
É o que venho experimentando nas ultimas 2 ou 3 semanas, e a pergunta que vem em minha mente é:
Será que vale a pena?

Todo esse ritmo de assuntos na universidade, todas essas coisas abstratas que estudamos, toda a futilidade que existe e nos cerca em qualquer lugar. Algumas pessoas que me rodeiam estão anestesiadas pela promessa do emprego "dá-pro-gasto" garantido pelo diploma com os termos "Engenharia", "Universidade Federal", "Escola de Engenharia de Pernambuco", "desde 1895"...

Será que precisamos nos martirizar tanto por um salário mísero, limitado pelo patrão? Será que a fantasia imposta pelo monstro do capital é alcançável por quem não tem nada? Pelos que não têm berço de ouro, pelos que não tem conhecidos na política, ou pelos que não ganharam na loteria?

Todo esse sistema dominante, e toda essa mídia sensacional... Sem falar, e já falando, na tendência atual de rumar à um cargo público, através dos famigerados concursos, buscando a estabilidade financeira e no trabalho.

Mas aí é que me vem a questão... E nesses concursos nos quais são aceitos qualquer curso superior para determinado cargo, o critério de desempate é a idade do candidato. Seria isso justo conosco de engenharia?

Não desmerecendo o curso mas, e uma pessoa que fez... hum, sei lá, pedagogia em um curso à distância desses de qualquer esquina???
O que vocês acham, caros leitores, é justo?

Enfim, esses são o pensamentos que venho divagando nessas semanas.

Mas sempre tenho um exemplo à seguir, sempre tenho alguém em quem me inspirar, e sempre tento dar o melhor de mim em tudo que faço.

O brasileiro é, acima de tudo, um forte...

é com esse tom melancólico que termino esse post

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

O menino que não sabia brincar

Como prometido, venho hoje contar uma historinha peculiar do mundo da matemática.

Reza a lenda que tudo começou em 1784 quando um garotinho de 7 anos entrou para a escolinha do bairro. Como todos os pirralhos eram umas pestes e só sabiam azucrinar a vida do diretor Butner, que por muitas vezes aplicava castigos severos nas criancinhas que só queriam brincar...

...Mas, depois que o garotinho maroto de 7 anos entrou na escola, tudo ficou muito diferente!

O pequeno Carl não tava muito afim de ir para a escola pois já tinha aprendido a ler e a somar sozinho em casa, durante o tempo que ficava ocioso por lá (já que não tinha internet, video-games, ou pornografia gratuita em qualquer esquina). Mas mesmo assim era obrigado a ir e realizar todas aquelas chatas interações sociais!

Voltando para a história do diretor...
Puto da vida com todos aqueles pirralhos, o diretor teve uma brilhante idéia... PLIM!! "Vou colocar esses capetinhas para escrever de 1 à 100 e logo após somar todos eles... Muahaha, isso vai me dar uma tarde de calmaria" - O infeliz, no entanto não contou com a astúcia do menino Carl que com poucos segundos após o diretor ter enunciado o problema gritou: ligget se! Sua resposta, 5050!

O diretor ficou abismado com a incrível capacidade do menino que havia acabado de criar uma formula para a soma de uma Progressão Aritmética finita, e começou a dar uma atenção especial ao jovem que mais tarde não seria mais conhecido pelo seu primeiro nome, Carl mas sim por...

...Gauss, isso mesmo, Carl Friedrich Gaus foi o primeiro Joselito conhecido. O pequeno provou muitas deduções matemáticas além de realizar inúmeras observações astronômicas e descobrir por meio de cálculos, e ausência total de algum telescópio que prestasse, a existência do planetóide Ceres... Além de claro, contribuir bastante para a física e a ciência como um todo, já que inventou o Método dos Mínimos Quadrados que é imprescindível na ciência experimental atual...

...Ok! Gauss era cheatado! Tinha Gameshark cerebral ativado forever... com um QI de 240, não seria pra menos!...


... E você se gabando por tirar notas boas em física e química no ensino médio, hein?

Reflita

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Return 0;

Depois de décadas sem postar, venho aqui para postar algo...

Minha vida mudou muito desde o ultimo post, e venho aqui comentar algumas mudanças de mentalidade e comportamento que tive nesse ano e meio de universidade...

Para começar, gostaria de enunciar que a minha visão das coisas mudaram bastante, o véu da perfeição dos primeiros períodos caiu... Como naquele comercial do sonho de valsa, depois de um tempo a ilusão termina...
Presencio uma falta de critérios imensa para o ingresso no curso de engenharia. Período após período, os calouros sempre entram sem preparação prévia e esses só vão sentir a dificuldade depois. Vagas são colocadas aos montes sem que haja uma estrutura que não faça da retenção de alunos no básico um problema... Tiro pela minha entrada, o curso de engenharia cartográfica só recebeu 2 alunos de todo mundo que entrou comigo, e mesmo estes 2 caras, se empenhando bastante, será que eles acabarão o curso? Mesmo tendo entrado com média 4.2 ... 2 semestres e média 4.2???? E os caras que entraram com média zero no curso? MÉDIA ZERO!! Eles faltaram todas as provas desde o primeiro período e mesmo assim não foram jubilados da universidade pública... quem paga a conta ? Tiririca vai pagar a conta ??????

O problema é a educação básica mesmo, a cultura popular de que... ser o cara que se dá mal nas notas significa ser popular na escola...

mas deixando esse papo Cristovão Buarque de lado... Convido você, caro estudante de engenharia, a pensar comigo e refletir sobre uma questão... Você sabe resolver integrais gigantescas e cheias de subistituições impossíveis. Você sabe equilibrar uma gangorra executando cálculos precisos de massa, deformação e essas coisas físicas... MASSSSS!!!

Você lembra como fazer uma divisão com decimal no papel? Sem a ajudinha da velha amiga Casio fx-82ms.

Me deparei com esse pequeno problema um dia desses fazendo um simples cálculo de média, e pensei... Fodas eram os caras que estudavam sem calculadora... na tora, na mão, no papiro... esses caras sim eram fodas! Gauss era foda, Newton era foda, Kepler era foda, Torric... não, Torricelli não era tão foda... mas enfim!

Somos uns merdas dependentes de máquinas que realizam o trabalho pesado pra nós...

Amanhã volto com a história de um garotinho alien alemão do século XVIII


Para todos os estanhos leitores daqui

domingo, 9 de maio de 2010

Joguinho para Engenheiros - Take it Down

Bom galera, venho aqui neste finalzinho de domingo pra postar o joguinho oposto a Cargo Bridge, link para o cargo bridge AQUI, neste outro joguinho (Take it Down ) para engenheiros, você precisa ir implodindo um prédio aos poucos, sem danificar as construções vizinhas, nem derrubar o operário que está encima do edifício



sábado, 8 de maio de 2010

Engenharia Naval - UFPE

Com exceção de oceanografia, que terá vagas preenchidas pelo Enem, os demais vão utilizar o exame como substituto da 1ª fase do vestibular. Já o novo curso terá 30 vagas


Engenharia naval será o mais novo curso ofertado pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A graduação, que só existe nos estados do Pará, Rio de Janeiro e São Paulo, foi escolhida para atender a demanda do Complexo Industrial de Suape. Devem ser oferecidas cerca de 30 vagas para o próximo ano, no campus Recife. A decisão foi tomada ontem, durante a reunião do conselho universitário, realizada no auditório do Centro de Tecnologia e Geociências da UFPE (CTG). No encontro, também foi aprovada a manutenção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como substituto da 1ª fase do vestibular. A decisão, antecipada ontem pelo Diario, foi acatada por 32 dos 41 conselheiros. A exceção fica por conta do curso de oceanografia, que terá o Enem como forma única de ingresso. Isso significa que esses feras não precisarão fazer a 2ª fase e que as 25 vagas disponíveis para 2011 serão preenchidas através do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).


Segundo o reitor da UFPE, Amaro Lins, a mudança em relação à oceanografia foi motivada pela própria mobilidade do curso
"Já estamos em fase avançada de implantação do curso de engenharia naval. Mas ainda não decidimos se ele será aberto para a 1ª ou para a 2ª entrada do ano que vem", afirmou a pró-reitora acadêmica da UFPE, Ana Cabral. Para os feras que ainda estão em dúvida sobre qual carreira seguir, o engenheiro naval projeta e coordena a construção de embarcações, planeja o transporte de produtos do comércio marítimo e desenvolve tecnologias para submarinos e plataformas flutuantes. Os salários variam entre R$ 4 mil e R$ 10 mil. Segundo Ana Cabral, o projeto pedagógico do curso está praticamente concluído. Ela afirmou que medicina, na unidade acadêmica de Caruaru, também pode ser ofertada em 2011. Tudo vai depender da negociação de um imóvel próximo ao campus.

Embora o Enem tenha sido mantido pela UFPE, o formato do vestibular sofreu algumas mudanças neste ano. Agora a 1ª fase valerá 50% da nota total do candidato. No ano passado, a etapa valia 45%, já que não foi aplicado o teste de língua estrangeira, prometido pelo Ministério da Educação (MEC) para este ano. A redação que valerá nota é a do Enem.Em 2009, por conta do vazamento e, consequentemente, do atraso na saída do resultado da prova nacional, a UFPE decidiu fazer uma redação própria, preparada pela Comissão de Vestibular (Covest). O edital do vestibular 2011 deve sair no mês de junho. O Enem deve ser aplicado nos dias 6 e 7 de novembro e a 2ª fase da Covest está prevista para a primeira ou a segunda semana de dezembro. A expectativa é de que o resultado final, soma das notas do Enem e da 2ª fase, saia em janeiro.

Vestibular extra - Diferente das demais graduações, as vagas de oceanografia serão preenchidas apenas pelo Enem. Segundo o reitor Amaro Lins, a mudança foi motivada pela própria mobilidade do curso. "Só existem dez graduações de oceanografia no país. Percebemos que o interesse por ela é grande em outros estados", justificou. Cerca de 30% dos alunos da graduação são de outros estados e a mudança pretende evitar os índices de evasão. Do último vestibular, sobraram 190 vagas nas engenharias. Outras 115 ficaram remanescentes das licenciaturas de física, matemática e química, todas no campus de Caruaru. Para preencher essas vagas, a UFPE realizará vestibulares extras ainda neste primeiro semestre. As provas das engenharias seguirão o padrão do ano passado, ou seja, utilizarão a nota do Enem em substituição à 1ª fase. A 2ª fase, no entanto, será formada por testes de química, física, matemática, redação e duas questões discursivas de português. Já em Caruaru, a nota do Enem será dispensada e a média do candidato será composta apenas pelas provas aplicadas pela Covest em dois dias. As datas das provas ainda não foram definidas.

Energia Eólica - Uma boa aposta para o futuro

A energia dos ventos é uma abundante fonte de energia renovável, limpa e disponível em todos os lugares.
A utilização desta fonte energética para a geração de eletricidade, em escala comercial, teve início há pouco mais de 30 anos e através de conhecimentos da indústria aeronáutica os equipamentos para geração eólica evoluíram rapidamente em termos de idéias e conceitos preliminares para produtos de alta tecnologia.
No início da década de 70, com a crise mundial do petróleo, houve um grande interesse de países europeus e dos Estados Unidos em desenvolver equipamentos para produção de eletricidade que ajudassem a diminuir a dependência do petróleo e carvão.
Mais de 50.000 novos empregos foram criados e uma sólida indústria de componentes e equipamentos foi desenvolvida. Atualmente, a indústria de turbinas eólicas vem acumulando crescimentos anuais acima de 30% e movimentando cerca de 2 bilhões de dólares em vendas por ano (1999).
Existem, atualmente, mais de 30.000 turbinas eólicas de grande porte em operação no mundo, com capacidade instalada da ordem de 13.500 MW. No âmbito do Comitê Internacional de Mudanças
Climáticas, está sendo projetada a instalação de 30.000 MW, por volta do ano 2030, podendo tal projeção ser estendida em função da perspectiva de venda dos "Certificados de Carbono".
Na Dinamarca, a contribuição da energia eólica é de 12% da energia elétrica total produzida; no norte da Alemanha (região de Schleswig Holstein) a contribuição eólica já passou de 16%; e a União Européia tem como meta gerar 10% de toda eletricidade a partir do vento até 2030.
No Brasil, embora o aproveitamento dos recursos eólicos tenha sido feito tradicionalmente com a utilização de cataventos multipás para bombeamento d'água, algumas medidas precisas de vento, realizadas recentemente em diversos pontos do território nacional, indicam a existência de um imenso potencial eólico ainda não explorado.
Grande atenção tem sido dirigida para o Estado do Ceará por este ter sido um dos primeiros locais a realizar um programa de levantamento do potencial eólico através de medidas de vento com modernos anemógrafos computadorizados.
Entretanto, não foi apenas na costa do Nordeste que áreas de grande potencial eólico foram identificadas. Em Minas Gerais, por exemplo, uma central eólica está em funcionamento, desde 1994, em um local (afastado mais de 1000 km da costa) com excelentes condições de vento.
A capacidade instalada no Brasil é de 20,3 MW, com turbinas eólicas de médio e grande portes conectadas à rede elétrica. Além disso, existem dezenas de turbinas eólicas de pequeno porte funcionando em locais isolados da rede convencional para aplicações diversas - bombeamento, carregamento de baterias, telecomunicações e eletrificação rural.

Custo da Energia Eólica

Considerando o grande potencial eólico existente no Brasil, confirmado através de medidas de vento precisas realizadas recentemente, é possível produzir eletricidade a custos competitivos com centrais termoelétricas, nucleares e hidroelétricas. Análises dos recursos eólicos medidos em vários locais do Brasil, mostram a possibilidade de geração elétrica com custos da ordem de US$ 70 - US$ 80 por MWh.
De acordo com estudos da ELETROBRÁS, o custo da energia elétrica gerada através de novas usinas hidroelétricas construídas na região amazônica será bem mais alto que os custos das usinas implantadas até hoje. Quase 70% dos projetos possíveis deverão ter custos de geração maiores do que a energia gerada por turbinas eólicas. Outra vantagem das centrais eólicas em relação às usinas hidroelétricas é que quase toda a área ocupada pela central eólica pode ser utilizada (para agricultura, pecuária, etc.) ou preservada como habitat natural.

A energia eólica poderá também resolver o grande dilema do uso da água do Rio São Francisco no Nordeste (água para gerar eletricidade versus água para irrigação). Grandes projetos de irrigação às margens do rio e/ou envolvendo a transposição das águas do rio para outras áreas podem causar um grande impacto no volume de água dos reservatórios das usinas hidrelétricas e, consequentemente, prejudicar o fornecimento de energia para a região. Entretanto, observando o gráfico abaixo, percebe-se que as maiores velocidades de vento no nordeste do Brasil ocorrem justamente quando o fluxo de água do Rio São Francisco é mínimo. Logo, as centrais eólicas instaladas no nordeste poderão produzir grandes quantidades de energia elétrica evitando que se tenha que utilizar a água do rio São Francisco.

POTENCIAL EÓLICO DO BRASIL

A avaliação precisa do potencial de vento em uma região é o primeiro e fundamental passo para o aproveitamento do recurso eólico como fonte de energia.
Para a avaliação do potencial eólico de uma região faz-se necessária a coleta de dados de vento com precisão e qualidade. Em geral, os dados de vento coletados para outros usos (aeroportos, estações meteorológicas, agricultura) são pouco representativos da energia contida no vento e não podem ser utilizados para a determinação da energia gerada por uma turbina eólica - que é o objetivo principal do mapeamento eólico de uma região.
No Brasil, assim como em várias partes do mundo, quase não existem dados de vento com qualidade para uma avaliação do potencial eólico. Os primeiros anemógrafos computadorizados e sensores especiais para energia eólica foram instalados no Ceará e em Fernando de Noronha/Pernambuco apenas no início dos anos 90. Os bons resultados obtidos com aquelas medições favoreceram a determinação precisa do potencial eólico daqueles locais e a instalação de turbinas eólicas.
Vários estados brasileiros seguiram os passos de Ceará e Pernambuco e iniciaram programas de levantamento de dados de vento. Hoje existem mais de cem anemógrafos computadorizados espalhados por vários estados brasileiros.
A análise dos dados de vento de vários locais no Nordeste confirmaram as características dos ventos comerciais (trade-winds) existentes na região: velocidades médias de vento altas, pouca variação nas direções do vento e pouca turbulência durante todo o ano. Além disso foram observados fatores de forma de Weibull (da distribuição estatística de Weibull), k, maiores que 3 - valores considerados muito altos quando comparados com os ventos registrados na Europa e Estados Unidos.
Dada a importância da caracterização dos recursos eólicos da região Nordeste, o Centro Brasileiro de Energia Eólica - CBEE, com o apoio da Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL e do Ministério de Ciência e Tecnologia - MCT lançou, em 1998, a primeira versão do Atlas Eólico do Nordeste do Brasil (WANEB - Wind Atlas for the Northeast of Brazil) com o objetivo principal de desenvolver modelos atmosféricos, analisar dados de ventos e elaborar mapas eólicos confiáveis para a região. Um mapa de ventos preliminar do Brasil gerado a partir de simulações computacionais com modelos atmosféricos é mostrado na figura abaixo.



Em 1999, a companhia paranaense de energia, COPEL, publicou o mapa do potencial eólico do estado do Paraná. Foram utilizados dados de vento de cerca de vinte estações anemométricas para simulações em modelo atmosférico de microescala com apresentação gráfica em ferramenta GIS.
Também em 1999, o CBEE passou a utilizar o modelo atmosférico de mesoescala MM5 para elaborar a segunda versão do Atlas Eólico do Nordeste (WANEB 2) e realizar o Atlas Eólico Nacional. Este novo projeto envolve a coleta e processamento de dados de vento de boa qualidade medidos em estações terrenas e na atmosfera (sondas, satélites), a simulação da climatologia com o modelo MM5 em resoluções de 30km e a elaboração do atlas eólico a partir da combinação dos mapas de vento (obtidos da simulação) com informações de topografia, uso do solo, influências locais e outras restrições (ferramenta GIS). Um modelo atmosférico de microescala será usado em áreas de interesse para aumentar a resolução do Atlas para espaçamentos de 1km2.
Baseado no WANEB 2 (ainda não publicado) o CBEE estima que o potencial eólico existente no Nordeste é de 6.000MW.

Mas como funciona um aerogerador?!

Em termos físicos, um aerogerador é uma máquina capaz de transformar a energia cinética, o movimento, em energia elétrica. As pás da hélice movem-se quando atingidas pelo vento. Para isso, são dispostas em ângulo, como em um ventilador. A primeira grande diferença é que esse ângulo é variável, para ajustar o equipamento de acordo com as condições do vento em determinado instante. A própria hélice pode mudar de posição para se obter sempre a melhor eficiência possível.
Grande parte dos aerogeradores modernos tem suas hélices fabricadas com plásticos reforçados (poliéster ou epóxi) e fibra de vidro. Fibra de carbono, aço, alumínio, madeira e madeira-epóxi são outros materiais usados em menor escala. O ideal é que as pás sejam leves, para girarem facilmente, e resistentes. Em muitas turbinas, as pontas das pás giram a até 288 Km/h (80 m/s).
O tamanho das pás varia de acordo com a potência do aerogerador. Uma turbina de 600 kW de potência, como as instaladas no Mucuripe, tem hélices com 20 metros de comprimento. Somadas ao cubo central, o diâmetro é de 42 metros. Mas isso pode ser considerado pouco frente aos novos modelos que já estão sendo produzidos. Alguns, com grande capacidade de geração de energia, têm pás com até o dobro desse tamanho.
Atrás da hélice, há a nacele, com vários equipamentos que controlam as pás e analisam as condições do vento. Lá, fica também uma caixa de engrenagens que controla a velocidade de rotação para um gerador. Um freio também está presente como equipamento de segurança, e para permitir a manutenção do sistema.
Tudo isso fica sobre uma torre que deixa a turbina na altura considerada ideal de acordo com as condições do local. Dependendo de onde foi construído o parque eólico, as torres de cada aerogerador podem ser de aço, treliça ou concreto. O material vai depender do terreno da altura, escolhida de acordo com as condições do tempo. Há aerogeradores com torres entre 50m até mais de 100m.
Junto às turbinas são montados equipamentos que captam toda a energia elétrica gerada no parque eólico para repassá-la para a rede convencional. Nesse estágio, são feitas diversas modulações de força, de forma a deixar a corrente e a voltagem adequadas aos padrões da região. Em Fortaleza, por exemplo, a energia já entra na rede pública com uma voltagem de 220 V, que é a oferecida para residências, indústrias, etc.

[DOWNLOAD] Cálculo Volume II - James Stewart

sábado, 1 de maio de 2010

[DOWNLOADS] COMPILAÇÃO - INTRODUÇÃO AO DESENHO

Galera, estou sem muito tempo para postar, a UFPE está tomando todo o meu tempo, quando passarem as provas, eu torno a postar no blog

Todas as listas de exercícios preparadas pelos monitores de desenho




 

domingo, 18 de abril de 2010

[DOWNLOADS] Apostila - Limites e Derivadas

post rápido de domingo, atendendo a requisições, uma apostila de limites e derivadas


DOWNLOAD

segunda-feira, 12 de abril de 2010

[DOWNLOADS] Provas - Parte II

Bem, neste post venho disponibilizar o download de provas da UFPE de anos anteriores, das disciplinas que ainda não postei aqui.


PS.: lembrando que essas são as provas da primeira unidade
















domingo, 4 de abril de 2010

UFPE - Restaurante Universitário - Eu acredito

Galera, venho nesse domingo de páscoa pra fugir um pouco do foco do blog. E puxar um pouco pro lado das causas estudantis.

Desde que me entendo por gente, que dizem que há um projeto para o restaurante universitário, acontece que... todos os periodos nas aulas magnas o Exmo. Senhor Reitor Tio Amaro Lins promete abrir aquela bagaça, mas.... depois de 6 meses, ele promete de novo pra o proximo semestre. E isso já vem se arrastando por uns 5 anos ou mais.

Finalmente, após um prenssão da imprensa (que estranho ler isso!), eis que o reitor anuncia oficialmente abrir o restaurante universitário da UFPE (no prox. semestre claro).

Para ele não desconversar, o NETV estava mostrou uma série de reportagens sobre os restaurantes universitários de outras universidades federais do nordesde, e com isso a pressão sobre o reitor aumentou.

O preço ainda não foi acertado mas ficará por volta de 6 reais para não estudantes, e 3 reais para estudantes da UFPE. Além de oferecer também alternativas gratuitas para os alunos que comprovarem renda baixa.

Segue abaixo um vídeo da reportagem inicial do NETV sobre os restaurantes universitários da UFPE.





enquanto o RU não abre, eu fico comendo mesmo lá no ASCEFETEPE ou no BIG REFEIÇÕES.

sexta-feira, 26 de março de 2010

[DOWNLOADS] Provas

Após um bom tempo sem postar, venho aqui deixar algumas provas do primeiro período para download, Provas de Cálculo, Fisica, Analítica e Desenho para download.




sexta-feira, 19 de março de 2010

Monitoria de Introdução ao desenho técnico

Bom... é com muito prazer que venho informar que fui selecionado para ser monitor bolsista da disciplina de introdução ao desenho. Isso significa 2 coisas, a primeira é que meu tempo para estudar diminuiu mais ainda mas em compensação vai ser um bom acréscimo em meu currículo estudantil.

Estou bastante animado, pois desenho é uma das disciplinas que achei mais relaxantes para aprender. No meu primeiro período eu sempre gostava das aulas de desenhos, e pra mim, elas serviam como uma terapia ao corre-corre das outras disciplinas.

bom, estou sem muito tempo pra testar, pra estudar, pra cuidar da minha colheita feliz, e todas essas coisas que tenho que fazer... porisso estou postando com menos frequência no blog. Peço desculpa aos leitores, mas vou fazer o que puder pra postar provas e dicas da faculdade.

abraço a todos!

segunda-feira, 15 de março de 2010

Livro perdido - boa ação do dia

Na sexta-feira, fiquei copiando a aula de álgebra depois que o professor já tinha acabado a aula. Ao terminar, me vejo solitário na sala gigante, com um grande sentimento de sala de aula fantasma (KKKKKKK).

Enquanto vou passando pelos "escombros" (As bancas todas desarrumadas das fileiras após uma aula com uns 80 alunos famintos) rumo à saída, eis que me deparo com um livro sólitário de Algebra Linear - Boldrini - 3ª edição, embaixo de uma banca-escombro daquelas, peguei-o e ele tinha o adesivo da biblioteca do CCEN (centro de ciencias exatas e da natureza - UFPE) mas não tinha nenhum comprovante de emprestimo lá....

Eu tinha 2 opções:
  • Devolver o livro na biblioteca
  • Ficar com o livro pra mim (e deixar que a pessoa que pegou o livro emprestado pagasse à biblioteca).

Não tive dúvida... fui lá devolver o livro na biblioteca, afinal, eu já tinha um exemplar novinho que peguei emprestado na biblioteca central com a certeza de que vou conseguir renová-lo até o final do semestre, pois na BC só tem livro caindo aos pedaços e ngm vai querer pegar.

Ao devolver o livro lá, o cara me falou que tava no nome de uma menina, esqueci o nome que ele falou, e que não tava com atraso. ou seja, ela não vai precisar pagar nada pelo livro, já que eu devolvi.

Me senti bem com isso!

Fica a dica ai pra vocês!

quinta-feira, 11 de março de 2010

Curso de Japonês - UFPE



Kon nichi wa !!

Hoje irei me inscrever no curso de japonês oferecido pelo professor Armando Shinohara (Nem sei se é esse mesmo o sobrenome dele) no CTG.

Ontem "zanzando" pela Área II vi um aviso no quadro de avisos (não diga!) informando sobre a aula de japonês. Como ultimamente com toda essa cultura de animes, mangás e J-music presente na minha vida, resolvi aprender mais o idioma dos olhinhos puxados...

Em termos de $$ achei a aula muito legal, pois, eles cobram um preço absurdo de..... R$ 45,00 p/ semestre (referente ao material apenas) e o melhor de tudo...

... As professoras são Japonesas!

Não vai ser só um curso porcaria que colocam um Cearense que aprendeu japonês no telecurso pra dar aula pra gente... são nativos, que falam pouco português, e isso vai ajudar mais ainda à acelerar o aprendizado do idioma pra toda a turma.

As aulas estão disponíveis praticamente todos os dias, em várias turmas em diferentes turnos... para se tornar acessível para qualquer um.

PS.: Não precisa ser aluno da UFPE para frequentar o curso. Basta apenas estar matriculado em um curso superior e comparecer à sala do professor Armando  no 2° Andar do CTG das 8:30 às 17:00. As inscrições terminam amanhã, dia 12/03/2010

terça-feira, 9 de março de 2010

Cilada! - Dia todo sem aula

O dia de hoje foi um dia muito peculiar nessa minha vida de estudante de engenharia na UFPE...

Primeiro, saí de casa às 9 horas e peguei um ônibus lotado para chegar na Universidade cedo, pois estava indo no prédio de Artes e Comunicação (CAC) para me inscrever para monitoria de "Introdução ao Desenho" após a exploração do mundo desconhecido do CAC, me dirigi a Área II para minhas aulas de "Computação Eletrônica" e "Química I".


Após comer algo, me dirigi para a sala da aula de computação... e a hora foi passando... 13:00, 13:20, 13:30, 13:40, e nada do professor chegar... detalhe, a aula estava marcada para as 13:00.

Após muito tempo, chega a auxiliar de coordenação para pedir uns caras não jogarem dominó na sala (sim, já estava rolando dominó na sala e eu já tinha até jogado), nisso, perguntei porque o professor faltou, e ela me replicou, falando que ele não ligou, nem deu nenhuma justificativa, e que poderia chegar a qualquer momento. Finalizou que o professor não chegou e não tivemos a aula.

Já decepcionado com a primeira "aula" de computação eletronica, eis que vou para a cantina tomar minha velha coca de garrafa, e lá... POOF, a coca-cola AUMENTOU de preço, era R$ 1,00 e passou a ser R$ 1,20. ( mas poxa, são só 20 centavos. Que pirangagem!.... não é pelos 20 centavos. É que na tampa tem escrito R$1,00 e eu gostaria de continuar pagando R$1,00).

Após ser assaltado pela velhinha da cantina, fui pra minha aula de quimica... e a mesma coisa, passou 15 minutos até o professor chegar em sala. Após fazer algumas perguntas sobre o conceito de energia e colocar o site da area II no quadro pra a galera pegar o programa da disciplina, fez um origami lá filosofou um pouco e disse que a aula terminara alí!

resumindo meu dia...

Fui para a faculdade cedo
Enfrentei um Onibus LOTADO
Passei quase 2 horas nesse ônibus LOTADO em pé!
Fui num labirinto que é o CAC, cheio de seres estranhos...
Assisti uma "aula" de computação que não teve
Fui roubado na cantina
Assisti um professor de quimica dar uma aula de origamis e meio motivacional até
Voltei pra casa no mesmo ônibus LOTADO de novo, mas dessa vez sentado.
Estou escrevendo no blog meu dia!


Espero que tenham gostado, e fiquem sabendo que vocês irão passar porisso que eu passei algum dia em alguma Universidade pública do país.

segunda-feira, 1 de março de 2010

2° Período se aproximando...

a muito tempo não escrevo por mim mesmo no blog e hoje bateu a vontade de escrever algo... vou falar sobre minha visão das matérias que vou pagar no segundo período.... segue minha grade de horários



  •  Álgebra Linear - Já dizia hitler, isso é coisa do capeta! A visão que me passaram dessa cadeira é que você tem que calcular coisas que não são compreensíveis, como mais de 3 dimensões, e só nos resta seguir o exemplo o professor e aceitar a resposta como certa! NÃO TENTE ENTENDER.
  • Cálculo 2 - Ahh, o melhor cálculo de todos, o mais útil. Se você fizer um bom curso de Calculo 2 você fará por consequência um bom curso de Calculo 3 e Calculo 4.
  • Computação Eletrônica - Aguardo desde os 6 anos de idade por essa cadeira... A cadeira que me dará base para a programação eletrônica e eu finalmente poderei fazer robôs assassinos para destruir a Área II
  • Física Experimental I - A cadeira toda se resume a UMA única palavra: "Relatório"
  • Física 2 - Chatice.... 
  • Quimica I - A cadeira na qual as minhas colegas de turma vão ao delírio, afinal, a maioria delas fará engenharia química. Pra mim continua sendo a pior matéria possível, eu odeio quimica com todas as minhas forças.

[DOWNLOAD] Curso Pré-Cálculo - Paulo Boulos

O objetivo deste livro é suprir o aluno, de uma maneira rápida e objetiva, de tópicos que ele deve ter como pré-requisito para os cursos básicos de terceiro grau que requerem matemática.
A estratégia é passar as informações básicas de uma maneira amigável, usando uma linguagem coloquial, com a finalidade de apresentar uma leitura que seja agradável ao estudante. Além disso, avisos e observações sobre possíveis erros revelam uma preocupação de ordem didática do autor, que permeia seus escritos.
Nesse sentido, a freqüência de certos erros por parte de estudantes levou-o a i cluir um parágrafo intitulado''Alguns Erros a Serem Evitados''. Os exercícios foram distribuídos ao longo do texto, em geral depois de um exemplo, com o objetivo de guiar o leitor e de fazê-lo verificar se entendeu o tema exposto. Uma lista de exercícios suplementares é apresentada ao final.



quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Em São Paulo, estudantes pintam paredes de escola em trote universitário


Em algumas faculdades do país, os estudantes veteranos preferem aplicar outro tipo de trote. No lugar de violências e humilhações, os calouros são "forçados" a prestar serviços comunitários. Na Faculdade de Odontologia de Bauru (interior de São Paulo), vinculada à USP (Universidade de São Paulo), os alunos do primeiro período de odontologia e fonoaudiologia foram pintar as paredes de uma escola infantil.

Quarenta estudantes universitários usaram pincéis, rolos de pintura e lixas para reformar as paredes da Escola Municipal de Educação Infantil Maria Rosa da Conceição. É a terceira edição de um projeto promovido pela faculdade que visa substituir o trote violento por ações solidárias.

Enquanto isso, sete alunos veteranos acusados de jogar líquido corrosivo em calouros do Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos (Unifeb), em São Paulo, não compareceram ao depoimento marcado para esta última quarta-feira. No trote, sete pessoas sofreram queimaduras.

Em Fernandópolis (também em São Paulo), onde um aluno foi obrigado a beber álcool combustível e teve as roupas rasgadas, a polícia indiciou os alunos do quinto ano da Universidade Camilo Castelo Branco (Unicastelo) envolvidos no trote por lesão corporal leve, injúria e constrangimento.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Brasil forma muitos engenheiros nas faculdades, mas poucos trabalham na profissão

De cada 3,5 engenheiros formados no Brasil, apenas um está formalmente empregado em ocupações típicas da profissão. Isso mostra que o país não tem um número suficiente de engenheiros para dar conta dos novos postos que devem surgir com o crescimento econômico. É necessário que aumente a proporção de profissionais dedicados às áreas específicas da engenharia, para que o país dê conta de acompanhar os cenários mais otimistas. 


A avaliação é do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e consta da sexta edição do boletim Radar: Tecnologia, Produção e Comércio Exterior. Segundo o Ipea, o estudo foi motivado pela possibilidade de não haver número suficiente de engenheiros no país para dar conta da demanda que deverá surgir com o crescimento econômico. Isso, assinala a instituição, poderia resultar em um "apagão de mão de obra qualificada", caso a economia venha a crescer a taxas mais altas ou por causa de mudanças tecnológicas, principalmente em alguns setores, como o do pré-sal.

De acordo com o Ipea, a demanda tem superado o aumento de oferta de mão de obra no mercado. O ponto que mais preocupa seria a baixa proporção de formados que estão formalmente empregados em ocupações típicas da profissão.

Para realizar o estudo, o Ipea identificou o requerimento técnico por engenheiro - quantidade de profissionais com essa competência requerida tecnicamente para atender a um determinado nível de produção - para formação do PIB (Produto Interno Bruto). Além disso, projetou a quantidade de engenheiros potencialmente necessários a cada ano, entre 2009 e 2022.

Em 2008, o estoque de graduados em engenharia foi de cerca de 750 mil, enquanto o requerimento técnico por esses profissionais foi de 211.713 profissionais. No ano anterior, o total de graduados foi de 188.654 e em 2006, 174.183.

Três cenários distintos, em relação ao crescimento do PIB - 3%, 5% e 7% ao ano - foram analisados. As projeções levaram em conta apenas empregados em ocupações identificadas como próprias de engenheiros, arquitetos e outros profissionais correlatos e pondera que há muitos diplomados em engenharia que exercem outras ocupações e não foram incluídos no estudo.

Baseadas nos números de pessoas que concluíram os cursos de engenharia, na produção e na construção no Brasil, além da projeção dos formandos, o Ipea estima que em 2015 haverá 1,099 milhão de engenheiros disponíveis no mercado.

O estudo constata também que, à primeira vista, a disponibilidade de engenheiros seria suficiente para enfrentar a demanda, desde que o crescimento do PIB se mantenha em 3% ao ano e a proporção entre formados, na comparação com os formalmente empregados, caia para três por um - atualmente, de cada 3,5 engenheiros formados apenas um está empregado formalmente em ocupações típicas.

No patamar três por um, a demanda estaria em 1,001 milhão de profissionais em 2015. Número abaixo dos 1,099 milhão de engenheiros que deverão estar atuando no mercado, segundo o Ipea.

Caso o crescimento do PIB fique a 5% ao ano, serão necessários 1,155 milhões de profissionais - número ligeiramente maior do que o previsto (1,099 milhão). E, com crescimento de 7% ao ano, serão necessários 1,462 milhão de engenheiros.

Já a projeção para 2022 aponta que haverá 1,565 milhões de engenheiros em ocupações típicas - número suficiente para dar conta da demanda caso o PIB cresça 3% ou 5% ao ano. Mas para isso será necessário que se aumente a proporção de profissionais dedicados a atuar nas ocupações típicas de engenharia, e de cada dois formados, um esteja dedicado a elas.

Caso se mantenha o quadro atual - de 3,5 formados, um atua em emprego típico-, a demanda será de 1,861 milhão de engenheiros, para o caso de um PIB com crescimento de 3% ao ano; e de 2,48 milhões de engenheiros para o caso de se registrar crescimento do PIB em 5% ao ano.

Na proporção de 3 para um, ficarão bem próximas a demanda e a oferta de profissionais no ano de 2022, serão necessários 1,595 milhão de engenheiros para um mercado que deverá ser de 1,565 engenheiros, caso de o PIB cresça 3% ao ano. Caso cresça 5% serão necessários 2,125 milhões de engenheiros; e 3,405 milhões, caso o PIB tenha crescimento anual de 7%.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Equipes estão prontas para a Baja SAE BRASIL-PETROBRAS

Sessenta e seis carros Baja SAE, projetados e construídos por estudantes de engenharia, chegam em Piracicaba(SP) no dia 25 para a 16ª Competição Baja SAE BRASIL-PETROBRAS. Na competição, que vai até domingo (28), no Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo (ECPA), os carros produzidos por 1,2 mil universitários de 57 instituições de ensino do Brasil serão testados por juízes das principais indústrias da mobilidade.

As soluções técnicas para tornar os Baja SAE mais competitivos são as mais variadas e vão desde mudanças criativas na parte mecânica, desenvolvimento de sistemas com facilidade de troca, pesquisa de materiais mais leves até utilização da eletrônica embarcada no controle total do veículo.

Tecnologias – Exemplo são os dois carros da EESC-USP, hexacampeã da competição, que possuem avançado sistema de telemetria, com GPS a bordo, para transmitir em tempo real informações sobre velocidade, rotação do motor, nível de combustível, marcha engatada, nível de lubrificação, desgaste das pastilhas de freio e até se o cinto de segurança está engatado.

Os bajas da universidade contam, ainda, com sistema de freios do tipo perimetral, suspensão traseira semi-trailling arm. “São projetos extremamente otimizados, por isso estamos com boa expectativa quanto à conquista de um bom resultado, apesar do alto nível da competição torná-la extremamente difícil”, analisa Jackson de Souza Rosa, capitão da equipe ‘Seu Barriga’, que utiliza no carro materiais, como alumínio, titânio, aço cromo molibdênio, fibras de carbono e de vidro.

Outro caso de solução aplicada é o da equipe EEP Baja, formada por 14 alunos da Escola de Engenharia de Piracicaba, que investiu em novos posicionamentos das suspensões do veículo para ganhar estabilidade e melhor tração nas rodas traseiras. A suspensão dianteira do carro é do tipo duplo A, com uso de amortecedores da motocicleta CB 400; e na traseira eixo rígido com braços arrastados e com amortecedores XLS 125, com regulagem de compressão da mola, montada na posição invertida.

O carro de Piracicaba tem painel digital, que permite ao piloto acompanhar, em tempo real, a velocidade, distância percorrida e número de voltas realizadas na prova de enduro. “É um dos melhores carros que já fizemos na faculdade, por isso a expectativa de bom resultado é grande”, diz Diego Henrique Batista, capitão da equipe, que nas últimas competições ficou em 41º lugar na classificação geral.

A equipe Nitro Baja Racing, da Fatec Sorocaba, está confiante na robustez e simplicidade do carro, que possui sistema de transmissão por CVT acoplado a uma caixa com 4 marchas. Projetada na faculdade, a suspensão é independente nas 4 rodas, duplo A, com amortecedores telescópios hidráulicos turbo gás na dianteiro e braço oscilante e na traseira, adição de nitrogênio. O carro pesa 200 kg e atinge velocidade máxima de 52 km/h. “Nosso foco é ter um carro resistente”, diz Thiago Pazinatto, capitão da equipe, que gastou R$ 12 mil no projeto.

Para disputar a competição, realizada pela SAE BRASIL, as 66 equipes foram desafiadas a projetar, buscar patrocínios e construir carros off-road, para serem testados por especialistas da indústria da mobilidade. Além da avaliação de projeto, por meio de relatórios e apresentação, em Piracicaba, os Baja SAE serão submetidos a testes de tração, aceleração, manobrabilidade, velocidade máxima e um enduro com quatro horas de duração, em pista de terra cheia de obstáculos, na qual os carros são desafiados no aspecto resistência.

Ao final da competição, no domingo, as três instituições que alcançarem as melhores pontuações, na soma geral das provas, ganham o direito de representar o Brasil na Baja SAE Carolina, que será realizada pela SAE International, de 8 a 11 de abril, em Carolina do Sul, nos EUA. A competição internacional reúne mais de 90 equipes de diferentes países. Em 2008, o Brasil se sagrou tetracampeão na competição, realizada no Canadá.

Os Baja SAE são protótipos de estrutura tubular em aço, monopostos, para uso fora-de-estrada, com quatro ou mais rodas e devem ser capazes de transportar pessoas com até 1,90m de altura, pesando até 113,4 kg e motor padrão de 10 HP. Os sistemas de suspensão, transmissão, freios e o próprio chassi são desenvolvidos pelas equipes, que têm, ainda, a tarefa de buscar patrocínio para viabilizar o projeto.

Lista de aprovados na segunda etapa do Sisu já está disponível



Do total de 550.972 inscritos, 29.090 alunos foram selecionados e têm até a sexta-feira (26) para fazer matrícula
Os candidatos inscritos na segunda etapa do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) já podem conferir o resultado no site do Ministério da Educação. Do total de 550.972 inscritos, 29.090 alunos foram selecionados e têm até a sexta-feira (26) para fazer matrícula nas universidades e institutos federais de educação, ciência e tecnologia. No Estado, a Universidade Federal Rural de Pernambuco e a Univasf adotaram o Enem como nota única.

Pelo cronograma divulgado inicialmente, o resultado sairia nesta segunda-feira (22), mas o ministério antecipou a divulgação para o domingo (21) à noite.

Para saber se foi aprovado, o estudante deve informar o número de inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e a senha cadastrada no Sisu. É possível consultar o resultado pesquisando por unidade federativa, instituição de ensino, campus e curso. Além disso, o aluno tem acesso a sua classificação no curso escolhido e aos documentos exigidos pela instituição para que seja efetuada a matrícula.

A ocupação da vaga, de acordo com o Ministério da Educação, só é confirmada após a realização da matrícula na instituição. As vagas não ocupadas serão ofertadas novamente em uma fase complementar de inscrições, que vai de 1º a 3 de março. Os candidatos não selecionados na primeira e segunda etapas poderão concorrer novamente, assim como aqueles que ainda não se inscreveram no Sisu.

Participam desta primeira edição da seleção unificada 23 universidades e 26 institutos federais, além da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) e da Escola Nacional de Ciências Estatísticas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

FONTE: PE360GRAUS.COM

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

A lógica do Engenheiro

A lógica de profissional de "exatas" 
 

Em um julgamento de divórcio, o casal briga pela guarda do único filho.
A mãe, muito emocionada,tenta se defender:
- Meritíssimo Juiz, esta criança foi gerada dentro de mim. Carreguei ela durante nove meses. Ela saiu do meu ventre. Eu mereço ficar com ela!

O juiz, emocionado e quase convencido, passa a palavra para o marido, engenheiro, que resolve usar o seu lado lógico:
- Senhor Juiz, tenho apenas uma pergunta: quando eu coloco uma moeda em uma máquina de refrigerantes, a latinha que sai é minha ou da máquina?...

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Joguinho para Engenheiros - Vetores

O que fazer enquanto as aulas não começam... se você já assistiu todos os filmes, séries, desenhos, animes, e não tem dinheiro pra viajar, deixo a dica do joguinho cargo bridge, para exercitar sua noção de vetores, resistência de materiais, e o mais importante ECONOMIA.




terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Empresa israelense vai lançar "superDVD" de 1.000 Gigabytes

Ok, ainda de férias, sem muita coisa pra postar, li este artigo e achei interessantíssimo, esse é um dos exemplos de boa engenharia, aquela capaz de melhorar, desenvolver e fazer isso utilizando o mínimo de recursos possíveis.

O superDVD parece que virá pra ficar, e tomar o lugar do bluray, que não cumpriu o papel de boa engenharia e desenvolvimento... ok ok, o disco é bonito, azul, tem 50 GB mas... e o custo dele?

Fazendo uma rápida busca no mercadonegro Mercadolivre, vi que o preço das mídias mais "fubecas" varia entre 26~30 Reais, se formos para o mercado mais formal das americanas.com encontramos os discos de 25 GB por R$ 109,00 ABSURDO! E as de 50GB então... nada menos que R$ 204,00

Segue reportagem da Folha online sobre o novo disco.

A empresa israelense Mempile lançará no mercado, até 2011, superDVDs com capacidade de 1 Tbyte de armazenamento --aproximadamente 1.000 Gbytes. O TeraDisc é capaz de armazenar até 250 mil fotos em alta resolução ou arquivos MP3, 40 filmes longa-metragem em alta definição ou 115 filmes em qualidade DVD.

A tecnologia para armazenamento é desenvolvida a partir da transparência completa do disco, tanto antes quanto depois da gravação. Isso permite que o laser se mantenha em foco, mesmo quando há leituras através de camadas previamente gravadas.
Assim, um único TeraDisc pode ler e gravar 200 camadas virtuais, cada uma com capacidade de 5 Gbytes de armazenamento de dados, que podem ser acessados aleatoriamente.
O TeraDisc é composto de plástico monolítico simples, resistente e barato --o que significa que consumidores terão alta capacidade de armazenamento a baixo custo, com mais de 50 anos de tempo de vida útil.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

SOBRAM VAGAS PARA OS CURSOS DE ENGENHARIA DA UFPE

Isso mesmo que você leu caro leitor! O vestibular para o curso "Engenharias CTG" 2010, do qual eu faço parte, não conseguiu completar o quadro de vagas oferecidas.

Sobraram mais de 150 vagas!

OMG, tanta gente querendo entrar e deixam 150 vagas dando sopa?

Exatamente, mas isso foi necessário. Mais de 3500 vestibulandos disputaram as 655 vagas oferecidas pela UFPE para o curso, mas apenas 503 candidatos conseguiram a nota mínima para entrar.

Segue abaixo os critérios utilizados pela comissão de vestibular (COVEST) para desclassificação retirado do manual do candidato 2010


7.2.3 Pontos de Corte após a Segunda Etapa

Após a aplicação da segunda etapa de provas, será eliminado o candidato que:
  • Faltar a qualquer uma das provas;
  • Obtiver nota inferior a 2,5 (dois vírgula cinco), na redação da prova de Português 1;
  • Nota zero em qualquer das outras provas específicas;
  • Não estiver relacionado no contingente daqueles que terão suas provas de Português 1 corrigidas, de acordo com as condições especificadas nos itens 7.2.1 e 7.2.2.
  • Optou pelo curso ENGENHARIAS GTG (Grupo 03) e não obteve notas em cada uma das provas de Matemática, Física e Química igual ou superior ao máximo entre 2,0 (dois) pontos e a metade (50%) da média aritmética das notas registradas em cada uma dessas provas pelos candidatos com preferência por vagas no curso Engenharias CTG.

Curso da USP integra administração, engenharia e marketing

Inscrição para MBA em gestão e engenharia de produtos e serviços vão até esta sexta-feira

O Programa de Educação Continuada da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Pece) está com inscrições abertas até esta sexta-feira, 12 , para um curso pioneiro e inovador. O MBA em gestão e engenharia de produtos e serviços aborda, de forma integrada, disciplinas de engenharia, administração e marketing, tratadas sempre de forma isolada nas demais instituições de ensino superior.

Segundo o coordenador do curso, professor Paulo Kaminski, do Departamento de Engenharia Mecânica da Poli-USP, um dos objetivos do MBA é preparar, atualizar e qualificar profissionais envolvidos com a administração de projetos e desenvolvimento de produtos em todos os tipos de organizações, públicas ou privadas, em quaisquer setores ou ramos de atividade.

A estrutura do curso é aberta e permite ao participante escolher as disciplinas que mais interessam à sua área de atuação. Apenas uma disciplina é obrigatória - Ferramentas para o desenvolvimento de produtos com planejamento, criatividade e qualidade. As outras 24 são disciplinas eletivas e o aluno terá de escolher 13 delas. A jornada mínima é de 420 horas/aulas e o tempo médio de conclusão do curso é de 18 a 24 meses. As aulas ocorrem no período noturno.

O ingresso dos alunos é feito através de processo seletivo, que consta de análise de currículo, podendo também ser requerida entrevista com candidatos pré-selecionados. Espera-se formação superior, conhecimentos básicos de inglês e experiência profissional. O corpo docente é formado por professores da Escola Politécnica e de outras unidades da USP, além de especialistas convidados, todos com atuação profissional.

Da Agência Imprensa Oficial e da USP


 

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Parabéns a todos os feras

Minhas congratulações a todos os feras aprovados nos vestibulares de Engenharias por todo o país, e um abraço especial de parabéns a todos que passaram em engenharias CTG na UFPE, nos vemos em março na área II.


Parabéns e aproveitem as comemorações!

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Contador Regressivo

Galera, falta menos de 24 horas para o resultado da UFPE, então adicionei um contador regressivo no blog.
Ele será retirado amanhã, após o resultado. Lembrando que a minha intenção não é deixar niguém ansioso (ou não)

Força-tarefa vai ser lançada para formar engenheiros

Não só o economista Nouriel Roubini, que previu a crise financeira global, acha que o Brasil precisa qualificar sua mão de obra. Governo, academia e setor privado lançarão uma força-tarefa, que tem como objetivo reduzir o déficit de engenheiros, elevando de 30 mil para 100 mil ao ano o número de profissionais formados. Reportagem de Geralda Doca e Eliane Oliveira, publicada na edição deste domingo do Boa Chance, revela que o Ministério da Educação estuda "comprar" vagas em universidades privadas, via Fies (Financiamento Estudantil), para que elas formem engenheiros que, depois, remunerariam o Estado com seus salários.

Complementando a iniciativa, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) daria bolsas para esses alunos para que eles desenvolvessem projetos de pesquisa. O plano será lançado em 60 dias.

Assim, a deficiência - crônica - entra na agenda de prioridades do governo. O desconforto já faz parte da realidade de um número imensurável de empresas brasileiras, que, embora prontas para expandir suas atividades, não encontram engenheiros qualificados para tocar obras de porte, como as previstas para o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o Minha Casa, Minha Vida e a Copa do Mundo.

- O ministro da Educação (Fernando Haddad) está bastante sensibilizado - diz o presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fundação vinculada ao MEC, Jorge Guimarães, para quem é preciso que o governo federal entre nessa causa. - Os cursos de engenharia são caros e exigem, entre outras coisas, laboratórios de pesquisa.

A prioridade para as engenharias tem explicação na peculiaridade desse tipo de disciplina, que permeia praticamente toda a infraestrutura: construção civil, energia, petróleo, gás, química, entre outros.

ITA cria curso de graduação em engenharia aeroespacial


O Instituto Tecnológico de Aeronática (ITA) aprovou a criação do curso de graduação em engenharia aeroespacial. A instituição, que fica no pólo aeroespacial de São José dos Campos, a 97 km de SP, atualmente tem vagas nos cursos de engenharia aeronáutica, engenharia eletrônica, engenharia mecânica-aeronáutica, engenharia civil-aeronáutica e de computação.

A decisão do Ministério da Defesa, ao qual o instituto é vinculado, foi publicada na edição desta terça-feira (2) no "Diário Oficial da União". O número de vagas do novo curso ainda não foi divulgado nem quando a graduação passará a ser oferecida.


Curso gratuito
Com um dos vestibulares mais disputados do país, os cursos no ITA são gratuitos e os estudantes têm direito à alimentação e também podem optar por morar no campus por um custo baixo.

No primeiro ano do curso, todos os aprovados têm de fazer, simultaneamente, o serviço militar no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva da Aeronáutica (CPORAER-SJ). Para isso, recebem um soldo.

FONTE: G1




Galera, parece que esse curso é mesmo o futuro de quem quer ser um engenheiro da NASA, o número de vagas ainda não foi divulgado mas de uma coisa eu sei... a procura vai ser grande e a concorrência altíssima, então preparem-se.

UPE Divulga primeiro remanejamento 2010

Do JC Online

 
A Universidade de Pernambuco divulgará o primeiro remanejamento do vestibular 2010 na próxima quinta-feira (4). Na mesma data sairá o listão da UFPE. No dia seguinte, sexta (5), o resultado do Sistema de Seleção Unificada será informado.

O remanejamento da UPE deveria ter saído em janeiro, mas foi adiado exatamente para se aproximar da data de anúncio do resultados dos demais universidades. "De forma alguma queremos que vagas fiquem ociosas num universidade pública e gratuita. Se divulgassemos em janeiro, poderia sobrar vagas no fim de todos os remanejamentos", explicou a pró-reitora acadêmica, Isabel Avelar.

Como a partir deste ano, os estudantes só podem se matricular em uma única universidade pública, o temor da comissão do vestibular da UPE foi de que alunos que já haviam feito a matrícula na UPE pedissem o cancelamento para poderem se matricular nas federias. "Só estamos evitando problemas futuros", salientou.
AULAS - O ano letivo para os novatos começará apenas no dia 18 de fevereiro. O motivo está relacionado ao adiamento da lista com o nome dos remanejados, a fim de que os estudantes aprovados durante todo o processo de remanejamento possam acompanhar os conteúdos programáticos das disciplinas, sem ter prejuízos em relação àqueles que começarão a assistir às aulas nos primeiros dias.


Confira o novo calendário de remanejamento:
04/02/2010 - Divulgação do 1° Remanejamento
09/02/2010 - Matrícula do 1° Remanejamento
12/02/2010 - Divulgação do 2° Remanejamento
19/02/2010 - Matrícula do 2° Remanejamento
25/02/2010 - Divulgação do 3° Remanejamento
02/03/2010 - Matrícula do 3° Remanejamento
08/03/2010 - Divulgação do 4° Remanejamento
11/03/2010 - Matrícula do 4° Remanejamento
16/03/2010 - Divulgação do 5° Remanejamento
18/03/2010 - Matrícula do 5° Remanejamento
23/03/2010 - Divulgação do 6° Remanejamento
25/03/2010 - Matrícula do 6° Remanejamento
03/05/2010 - Divulgação do 7° Remanejamento
05/05/2010 - Matrícula do 7° Remanejamento
11/05/2010 - Divulgação do 8° Remanejamento
13/05/2010 - Matrícula do 8° Remanejamento

Então atenção a todos que prestaram vestibular para a UPE e ficaram para remanejamento, fiquem atento as notícias da universidade para não perder a sua tão sonhada vaga na prestigiada universidade estadual.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

ABSURDO!


Estudante é obrigado a beber álcool combustível durante trote em universidade

Durante oito horas, um estudante de veterinária da Unicastelo sofreu agressões físicas e psicológicas durante um trote praticado por alunos veteranos da universidade, em Fernandópolis, cidade localizada a 533 quilômetros de São Paulo. 
 
Mais do que isso: o aluno, que prefere não ser identificado, teve de beber álcool combustível. Segundo o estudante, as agressões começaram dentro do campus da universidade.
De acordo com o jovem, de 18 anos, alunos "rasgaram a minha calça e deram tapas na minha cara" dentro do prédio da universidade. Em depoimento, ele contou que estava em sua primeira aula do curso de veterinária quando vários veteranos entraram na sala e o tiraram à força do local.
Do lado de fora, em uma das principais avenidas da cidade, a Avenida dos Expedicionários Brasileiros, ocorreram mais agressões, além de o aluno ter sido obrigado a beber álcool combustível. Ainda segundo o estudante, os agressores disseram que ele tinha sido "rebelde".
O rapaz foi levado pela família ao hospital com dificuldades para falar e andar. Um boletim de ocorrência foi registrado. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o jovem compareceu à delegacia na noite de segunda-feira, para prestar depoimento, com a roupa rasgada, sem camisa, o rosto todo pintado e aparentemente embriagado. 


FONTE: IG - Ultimo Segundo
---------------------------------------------------------


Porra galera! Isso num é trote, essa quadrilha de mauricinhos filhinhos de papai têm que ser punida, presa, sem direito à fiança!


Se você é veterano e quer pregar um trote nos novatos, aplique o trote solidário. Deixo como exemplo o cadastro ao Registro Nacional  de Doadores de Medula Óssea (REDOME) no qual consiste em uma pequena coleta de sangue (10 ml), para entrada no banco de dados. Façam algo para melhorar o mundo galera!


Qual é melhor: ser preso por uma brincadeira imbecil, ou ajudar a tratar e dar esperança a galera que sofre com a leucemia? 


Pensa nisso! Você veterano, reuna uma galera e chame uma unidade móvel de um hemocentro próximo a sua universidade e convide (não obrigue) os calouros à entrarem no REDOME, não dói e você ainda ganha um pirulito e uma canetinha dependendo do centro!

Pra finalizar deixo o site com mais informações sobre o REDOME

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

SISU: sistema normalizado faz inscrições triplicarem


Até as 19h de ontem, Sistema de Seleção Unificada já havia recebido 335 mil inscritos


Metade dos alunos não atinge nota média

Depois de dois dias de lentidão, o site do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) voltou a funcionar normalmente ontem, segundo o Ministério da Educação (MEC). Com isso, triplicou o ritmo de inscrições para as vagas nas universidades e institutos federais que usarão apenas o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) como critério de seleção.

Na sexta-feira, quando o sistema apresentava instabilidade, apenas 45 mil estudantes conseguiram se inscrever. Ontem, esse número foi de 137 mil, totalizando, até as 19h, 335 mil inscritos. Nos dois primeiros dias, o MEC recebeu 13 mil reclamações de estudantes que não conseguiam se inscrever.

Diante dos problemas, o secretário-executivo do MEC, Henrique Paim, disse não descartar a hipótese de prorrogar a primeira etapa do Sisu, que acaba na quarta-feira.

Mais procuradas

O bacharelado em ciências tecnológicas da UFABC (Universidade Federal do ABC), em São Paulo, é o curso mais concorrido até agora, com 8.769 candidatos. Entre os dez mais procurados, cinco são de medicina, três de direito, um de ciências tecnológicas e um de administração. lA divulgação dos resultados das provas do Enem mostrou que mais da metade dos 2,6 milhões de candidatos não atingiu a média de 500 pontos, estabelecida pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). Matemática teve o pior desempenho, com 57,7% das notas abaixo de 500. O melhor resultado foi em redação, com média de 601,5 pontos.

O desempenho foi ruim em linguagem, com 47% abaixo da média; ciências da natureza, com 48,7%; e ciências humanas, com 49,8%.

Apesar de ter tido os piores resultados, matemática também teve a maior nota: 985,1. As faixas de notas vão de abaixo de 300 pontos a mais de 900 pontos.

ATENÇÃO QUEM PRESTOU VESTIBULAR NA UFPE

Será na quinta-feira (4), às 11h, a divulgação do listão de aprovados no vestibular 2010 da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A confirmação foi dada esta tarde através de nota enviada pela comissão organizadora do concurso, a Covest.

O vestibular da UFPE deste ano utilizou a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como primeira fase do processo de seleção. As notas da prova corrigida pelo Ministério da Educação (MEC) foram encaminhadas à Covest na última sexta-feira e, de acordo com a presidente da comissão, Lícia Maia, ainda estão sendo somadas aos resultados da segunda fase, que foi realizada em Pernambuco entre os dias 20 e 21 de dezembro.

Cerca de 38 mil candidatos fizeram as provas. A lista será afixada na sede da Covest, na Rua Henrique Dias, no bairro do Derby, e também estará disponível para consulta no site www.pernambuco.com, tão logo seja divulgada pela comissão organizadora do processo.

FONTE: DIÁRIO DE PERNAMBUCO

domingo, 31 de janeiro de 2010

Vença o Gênio!

Galera, venho aqui depois desses dias de pausa pra postar um desafio para vocês... VENCER O GÊNIO DA LÂMPADA!

Sim, existe um site que descobri agora pouco no qual, você pensa em alguém (pode ser qualquer coisa, atores, cantores, celebridades, personagens de desenhos, personagens de séries... etc.) e vai respondendo perguntas de sim ou não e no final, ele te diz em quem você pensou...

... O que me impressionou não foi a "mágica" de acertar, e sim o banco de dados gigantesco do site, ele acertou TUDO que eu pensei, segue algumas coisas que eu pensei:

  • Eu
  • Meu Cachorro
  • Coca-Cola
  • Kakashi ( naruto )
  • Dug (cachorro do filme UP!)
  • Benito di Paula (sugestão do meu pai)
  • Presidente Castelo Branco (outra sugestão do coroa)
  • Papai Smurf (fundo do baú)
  • Doug Funnie
  • A cantora de saia rodada (que não sei nem o nome, fiquei sabendo pelo site)
  • Geysi da UNIBAN
  • Pakkun (cachorro do Kakashi)
  • Hebe Camargo
  • Leitão (do ursinho Pooh)
  • Preta Gil
  • Elvis Presley
  • Ligador da Oi (esse foi o mais foda, ele acertou!)
  • E muitas outras tentativas
Tente você também, o nome do site é Akinator segue link
http://pt.akinator.com/

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Engenharia de Petróleo e Gás

É o conjunto de técnicas usadas para a descoberta de jazidas e para a exploração, produção e comercialização de petróleo e gás natural. O engenheiro de petróleo e gás atua em petroleiros, refinarias, plataformas marítimas e em petroquímicas. Com seus conhecimentos em engenharia, geofísica, mineração e geologia, ele trabalha na descoberta de jazidas de petróleo e de gás natural. É de sua responsabilidade desenvolver projetos que visem à exploração e à produção desses bens sem prejuízos ao meio ambiente nem desperdício de material. Além disso, cuida do transporte do petróleo e seus derivados, desde o local da exploração até a chegada na refinaria.

Também pode atuar em consultorias ambientais e no setor de exportação e importação, fazendo pesquisas de preços de matérias-primas ou captando compradores. É preciso conhecer a legislação internacional que regula as atividades ligadas ao petróleo e seus derivados e, como a maior parte das empresas do setor é estrangeira, é necessário ter fluência em inglês.

O mercado de trabalho

O setor petrolífero recebeu com otimismo o anúncio feito pelo governo federal em 2008 da existência de uma camada de pré-sal, de mais de800 quilômetros de extensão entre o Espírito Santo e Santa Catarina, para exploração do petróleo a 7 mil metros de profundidade. Embora ainda não se tenha data para o início da exploração, a descoberta certamente vai criar muitas oportunidades para o engenheiro de petróleo. Nos últimos anos, tem-se mantido alta a procura por esse profissional em toda a cadeia produtiva do petróleo e gás (exploração, extração, técnicas de perfuração, transporte). A gigante Exxon, multinacional com concessão para a exploração do petróleo em território nacional, é um dos principais empregadores, juntamente com a Petrobras. A estatal brasileira realizou, em 2008, dois concursos para contratação do profissional. Como as principais reservas petrolíferas situam-se nas bacias de Campos (RJ) e de Santos (SP), as melhores oportunidades concentram-se nesses dois estados. Empresas prestadoras de serviços ou que fabricam equipamentos para o setor, como a Halliburton, Odebrecht, Cameron e a Schlumberger, também contratam esse especialista.

O curso

O setor petrolífero recebeu com otimismo o anúncio feito pelo governo federal em 2008 da existência de uma camada de pré-sal, de mais de 800 quilômetros de extensão entre o Espírito Santo e Santa Catarina, para exploração do petróleo a 7 mil metros de profundidade. Embora ainda não se tenha data para o início da exploração, a descoberta certamente vai criar muitas oportunidades para o engenheiro de petróleo. Nos últimos anos, tem-se mantido alta a procura por esse profissional em toda a cadeia produtiva do petróleo e gás (exploração, extração, técnicas de perfuração, transporte). A gigante Exxon, multinacional com concessão para a exploração do petróleo em território nacional, é um dos principais empregadores, juntamente com a Petrobras. A estatal brasileira realizou, em 2008, dois concursos para contratação do profissional. Como as principais reservas petrolíferas situam-se nas bacias de Campos (RJ) e de Santos (SP), as melhores oportunidades concentram-se nesses dois estados. Empresas prestadoras de serviços ou que fabricam equipamentos para o setor, como a Halliburton, Odebrecht, Cameron e a Schlumberger, também contratam esse especialista.


O que você pode fazer
 
  • Comercialização Atuar na venda do petróleo aos compradores nacionais e internacionais e fazer pesquisa de preços de matérias-primas.  
  • Consultoria Prestar serviços para empresas do setor para avaliar os riscos ambientais na exploração, produção e distribuição do produto.  
  • Desenvolvimento de equipamentos Projetar e acompanhar a produção de novos equipamentos utilizados nas plataformas marítimas, nas petroquímicas e em refinarias. Pode atuar também na venda desses equipamentos.  
  • Exploração do petróleo e derivados Decidir como será feita a perfuração dos locais para que o material seja retirado sem prejuízos ambientais nem financeiros.  
  • Procura de reservatórios Traçar planos para a descoberta de jazidas de petróleo ou de gás natural, levando em consideração cálculos e características físicas de determinados espaços. Analisar a capacidade de produção dos novos reservatórios.  Transporte e distribuição Desenvolver e implantar projetos para o transporte de petróleo e derivados e gás natural desde os locais de exploração até a chegada nas refinarias e petroquímicas. Cuidar da distribuição do produto final até os postos e as indústrias.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Engenharia de Minas


Galera, começo este tópico falando diretamente sobre o que é engenharia de minas... Você gosta de explosões? Aquela fodásticas? Então você vai adorar ser engenheiro de minas. O mercao no brasil é dominado pela gigante Vale (Antiga estatal vale do rio doce). O mercado é muito promissor nos tempos de construção e industrialização interna a mil por hora.

Após ver o vídeo, fiquem com a descrição do guia do estudante sobre essa engenharia.



ENGENHARIA DE MINAS

É a engenharia que se ocupa da pesquisa, da prospecção, da extração e do aproveitamento de recursos minerais. O engenheiro de minas localiza jazidas e analisa o tamanho das reservas e a qualidade do minério no local. Estuda a viabilidade técnica e econômica da exploração do depósito mineral. Caso seja viável, elabora e executa o projeto de extração, escolhendo os equipamentos adequados e determinando os recursos humanos e materiais necessários ao trabalho. Cuida ainda do beneficiamento do minério bruto. Em geral, atua em companhias mineradoras, mas pode trabalhar também em pedreiras, construtoras de estradas e empresas de demolição. Lida com tecnologias de última geração e com reciclagem de produtos industriais ou com a prospecção de jazidas. A legislação ambiental exige que esse profissional tenha como objetivo minimizar o impacto da extração sobre o meio ambiente.

O mercado de trabalho

As exportações de minérios de ferro no Brasil registraram crescimento mensal em2009, especialmente graças às compras da China, o que contribuiu para manter o mercado aquecido durante o ano passado. Empresas de todos os portes contratam o profissional para atuação no Brasil e no exterior. Há empregos nas diversas regiões do país, mas os principais empregadores concentram-se nos estados de Minas Gerais, São Paulo, do Pará, de Goiás, do Tocantins e da Bahia. Companhias de extração de petróleo abrem vagas para especialistas em engenharia de petróleo, especialmente na Bacia de Santos. A área de minerais industriais, como calcário (matéria-prima do cimento), brita, areia e argila, costuma oferecer boas oportunidades em razão do bom momento vivido pela construção civil. A valorização do ouro aqueceu a exploração industrial do minério. Órgãos públicos, como o Ministério de Minas e Energia, o Departamento Nacional de Produção Mineral e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), também contratam esse engenheiro para os setores de consultoria e fiscalização. A área ambiental é um filão que promete crescer. Nele, o profissional atua como consultor, desenvolve métodos de reciclagem de minerais e cuida da recuperação de áreas degradadas.

O curso

Nos primeiros anos, o aluno cursa as disciplinas básicas de engenharia. Nos anos finais, aprofunda-se o estudo das rochas e seu beneficiamento, com disciplinas de física, química, mineralogia, topografia, geologia e reciclagem de rejeitos e resíduos. Também são realizadas visitas a empresas de mineração. Durante todo o curso, é intensa a atividade em laboratórios de ensaios e em projetos de engenharia. O estágio supervisionado é obrigatório, e algumas escolas pedem, ainda, um trabalho de conclusão.

O que você pode fazer

  • Beneficiamento e processamento Definir os processos físicoquímicos adequados à separação das substâncias que compõem o minério. Na indústria, acompanhar o processo de tratamento de minerais. Pesquisar e desenvolver métodos de reciclagem de minérios e técnicas que diminuam o impacto da atividade extrativa sobre o ambiente.  
  • Lavra Planejar e supervisionar a exploração de minas subterrâneas ou a céu aberto. Definir os métodos de remoção, transporte e estocagem do material extraído.  
  • Mecânica da rocha Estudar o comportamento mecânico das rochas e sua influência na definição da estrutura de obras como galerias e túneis.   
  • Prospecção Trabalhar em atividades de localização de depósitos minerais com o uso, inclusive, de imagens colhidas por satélites.


Bom, por hoje é só isso. Estou postando mais intermitentemente porque tou gripado, e tou passando o dia assistindo DVD. Quando melhorar volto com tudo!